3.10.10

Brasserie T!, Le Petit Hôtel.... Montreal no The New York Times... de novo!

Matéria do The New York Times abre com prato de
terrines, patés e fromage de tête da Brasserie T!

Não é de hoje que o The New York Times tem um caso de amor com Montreal.... Nunca vi ficarem mais do que 3 meses sem publicar algo elogioso sobre a cidade.

Em agosto aconteceu de novo: materinha esperta e pontual com dicas de como passar 36 horas prazerosas por aqui.


A foto que abre a matéria é da tábua de charcuteries maison (nham nham!) da Brasserie T! - que eu já comi umas três vezes, a última delas anteontem. Bom, bom, bom demais. Bola dentro do NYT, como sempre.

Aproveito pra reproduzir a seguir meu post sobre a Brasserie T!, que, de fato, é uma das melhores coisas que esta cidade tem atualmente - fiquei feliz de ver que o excelentíssimo jornal concordou comigo! :)


Brasserie T! do chef Normand Laprise: comidinha de bistrô nota mil






Montreal ferve durante o festival de jazz, e embora não faltem lugares pra comer e beber em volta dos muitos palcos montados no complexo Quartier des Spectacles - de mil barraquinhas a fast foods e quetais - os lugares mais badalados do pedaço, sem dúvida, são os dois novíssimos e vizinhos restôs dos top restaurateurs Normand Laprise e Carlos Ferreira.

Ambos parecem brotar da calçada como se fossem aquários, e têm vastos janelões que se abrem pra esplanada principal do festival.



A Brasserie T!  é do famoso chef Normand Laprise, cujo principal restaurante, o Toqué, é o mais chique de Montreal. Apesar do alto pedigree, trata-se de um cara simples e ultra simpático:  




Adoro as vidraças abertas pra rua, a transparência do espaço e como ele interage com seu entorno:


E que à noite ganham um charme extra, porque os jatos d'água parecem dançar e ganham show de luzes que vão mudando de cor, como em uma coreografia:



A Brasserie T! serve pratos simples e a bom preço, e a cozinha, nesta primeira fase, fica a cargo do Charles-Antoine Crête, há anos braço-direito de Laprise:




Há muitos velhos clássicos, como esses deliciosos ovos recheados...


E terrinas e salsichas variadas, o que anda super na moda. O plâteau de terrines e patés, que dá pra duas ou três pessoas, tem que ser pedido: vem com brioche tostado, tête de fromage salpicada com flor de sal; uma maravilhosa terrine de pato; paté de figado de galinha, e creton, uma espécie de patê de porco ultra típico do Québec (na foto abaixo, à direita).


Frescor e simplicidade: asparagos com sauce gribèche (agora já fora de estação, infelizmente):


 Não adianta querer pedir os aspargos da foto: não é mais época e aqui a sazonalidade é levada a sério. O consolo: essa linguiça de galinha de angola, apelidada de saucisse de Montréal, nunca vai sair do menu e é ma-ra-vi-lho-sa. Desmancha na boca (coisa que raras linguiças fazem) e tem um quê de defumada. Nham!





 Pra dar uma quebrada nas carnes e nos embutidos, vá de salmão cozido em baixa temperatura. Parece ter sido confitado e tem textura amanteigada, como um sashimi ligeiramente mais rijo. A crocante saladinha de erva doce fatiada fina como papel vai super bem como acompanhamento:





Chef Charles bolou um carrinho de doces e queijos que ele chamou de "DJ booth du manger", ou chariot de l'amour. E pra quem não sabe: os queijos artesanais do Québec estão entre os melhores do mundo, às vezes batem até os franceses!



Ma-ra-vi-lho-sa a torta de morango e ruibarbo (trottoir aux fruits) com calda de morango ultra fresca e concentrada.


Não provei mas achei legais os suspiros com sabor de menta, whisky ou Ricard que o chef Charles batizou de "sputniks":




Céus! Devorei também esses biscoitos de chocolate que eram fofos como nuvens.


Brasserie T!: 1425 rue Jeanne-Mance (corner of St. Catherine), tel. (514) 282-0808


site oficial do Quartier des Spectacles

No comments:

Post a Comment

Post a Comment

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...